WebMail  

VIII Encontro de Avicultores - Melhores do ano na Integração Aurora/Cocari

19/12/2018 - 10:36:41  Cocari
Redação da C7 Comunicação


Na noite de 7 de dezembro, a Cocari reuniu associados integrados, parceiros, criadores e familiares para a realização do tradicional Encontro de Avicultores, que já está na 8ª edição. O evento visa à valorização daqueles que se destacaram nos índices, mas, fundamentalmente, é uma ferramenta de motivação, para que os integrados analisem o próprio desempenho, comparado ao de outros produtores e se conscientizem de que o resultado de cada um reflete no final da cadeia produtiva, e que a soma de todos que não apresentam bom desempenho vai gerar prejuízos para todos os envolvidos, ou seja, para todos os aviários, para a Cocari e a Aurora como um todo.


Para falar das questões que envolvem o desempenho no campo, participaram do evento o presidente da Cocari, Vilmar Sebold, o vice-presidente, Dr. Marcos Trintinalha, o gerente de Operações da Aurora Alimentos, Celso Cappellaro, o gerente do Frigorífico da Aurora em Mandaguari, Gilmar Luís Gruber, e o supervisor de avicultura do Frigorífico de Mandaguari, Andreo Eckel. 


Vilmar Sebold traçou um comparativo da evolução dos Índices de Eficiência Produtiva nos anos de 2016, 2017 e 2018. “Evoluímos bem”, constatou o presidente, apresentando os números. “Crescemos porque aprendemos ainda mais a lidar com frangos, mas, principalmente, porque temos assistência técnica, e tecnologia aplicada à produção, desde a fase de pintainho até o momento de abate das aves”, apontou.


Uma somatória de fatores justifica a evolução. “Sem os técnicos não avançamos e precisamos sempre de inovações tecnológicas para complementar o processo”, acrescentou.


O presidente Vilmar Sebold comentou sobre aqueles produtores que se dedicam aos pequenos detalhes. “Eu sei que temos produtores que controlam água, que medem eficiência de crescimento diariamente, com tabelinhas, e cada um tem um jeito de fazer a gestão do aviário, mas temos um diferencial: parceria e união. Nunca vi um produtor da nossa integração se recusar a orientar e ajudar aquele que está em dificuldade. Isso faz toda a diferença e assim conseguimos trabalhar muito melhor”, elogiou.


As diferenças entre as melhores e piores médias, que representam a lucratividade dos integrados, foram apontadas pelo presidente. “Os 10 melhores aviários conseguiram mais de R$ 1,00 por frango no ano", analisou.


O presidente foi comentando o desempenho dos avicultores em cada item. “Quanto melhor o desempenho do avicultor, melhor é o resultado da Aurora e da Cocari. Se a nossa média crescer, todos vão lucrar mais. Criar frangos é um negócio. Dificuldades temos todos os dias, desafios também, porque lidamos com diversos fatores que influenciam no desenvolvimento das aves. Mas tudo depende da sensibilidade de quem toca o aviário, que sabe o que é necessário fazer e se antecipa na tomada de decisão correta, e o resultado vem em remuneração no final do lote”, observou.


Avicultores e parceiros criadores estão participando de cursos sobre avicultura de corte, ministrados pelo Senar/PR em Assis Chateaubriand, que tem o objetivo de certificar todos os criadores de aves. “Mesmo quem já cria frangos há bastante tempo, tem muito a aprender. Nosso objetivo é de que a informação seja plena, que tenhamos condições de identificar os detalhes que vão fazer a diferença e que possamos obter melhor remuneração pelo trabalho”, apontou o presidente da Cocari.


Entre os assuntos tratados com os avicultores, um foi sobre os novos formatos de seguros para os aviários das integrações que fazem parte da Aurora, com cobertura para incêndio, vendaval, alagamento, desmoronamento, danos elétricos e para veículos. “É benefício e segurança para cada um de nós”, resumiu Vilmar Sebold.


Nesta edição a palestra teve como foco esclarecer aos integrados como funciona o processo dentro da Aurora, para que entendam que os procedimentos com os frangos no campo influenciam no planejamento e nos resultados da cooperativa Central.


Na ocasião, o gerente de Operações da Aurora Alimentos, Celso Cappellaro, que tem mais de 25 anos de experiência no ramo, foi o convidado para falar aos avicultores. “Meu objetivo é dar uma dimensão da importância da atividade de cada um dos senhores que produzem aves e mostrar até onde vai o fruto do trabalho de vocês. E como funciona a nossa engrenagem, desde o momento que começa a produção do pintainho, a condução dos lotes de aves, o trabalho no frigorífico, passando pela entrega do produto acabado no Brasil inteiro, e até mesmo nos países para os quais exportamos”, frisou.


Cappellaro apresentou um breve resumo da história da Cooperativa Central Aurora Alimentos, pontuando o crescimento registrado. “Nossa visão é ser uma cooperativa referência, com a missão de valorizar a qualidade de vida no campo e na cidade, produzindo alimentos de excelência, priorizando valores como ética, qualidade, confiança, cooperação e sustentabilidade”, destacou.


O gerente de Operações falou do cuidado com a programação do lote, destacando que as informações passadas pelos avicultores são fundamentais para o planejamento e otimização das estruturas das unidades frigoríficas. “Dependemos das informações que vocês passam. Se estiverem desencontradas, vamos abater menos frango, o frigorífico pode ficar ocioso. Imaginem num frigorífico que abate 170 mil frangos/dia, com 70 gramas a menos em cada ave, ao final de um ano, quanto a Aurora deixou de produzir com toda a estrutura montada. A planta industrial continua com o custo operacional, mas o lucro para toda a cadeia será menor”, salientou. 


A Aurora possui sete unidades de frangos e sete de suínos, portanto, a programação se faz para as 14 unidades. A cooperativa exporta, em média, 1.400 containers, o que representa em torno de 25% do faturamento. “Muitos frangos produzidos na Integração Aurora/Cocari vão mundo afora. Então, a produção de vocês não termina quando entregam os frangos. É muito mais complexo”, assegurou.


O palestrante pontuou detalhadamente toda a estrutura necessária para o funcionamento da cooperativa, em caminhões, volume de ração, quilômetros percorridos para a entrega do alimento nos aviários e coleta das aves para levar aos frigoríficos etc. “É uma engrenagem grande, e cada um precisa fazer a sua parte”, afirmou. “Os integrados que vêm se destacando, inclusive entre os melhores índices da Aurora, são provas de que sempre temos o que melhorar. Quando um avicultor acredita que chegou no limite, surge outro que supera essa marca. É o objetivo de aprimorar o trabalho, com dedicação para alcançar o resultado esperado, que vai tornar essa conquista possível, melhorando os índices de todos os integrados”, completou.


Celso Cappellaro falou sobre o evento da filiada Cocari. “Foi muito gratificante participar deste encontro, primeiramente por ver o profissionalismo e o nível do evento e de todos os participantes, e por poder repassar um pouco sobre a complexidade da cadeia de produção e logística do segmento de carnes, reforçando a todos a importância do legado que estamos deixando: estamos alimentando o mundo”, ressaltou. “Vocês produzem e cabe a nós, da Aurora, processarmos os produtos e transportá-los aos destinos. Esse é o nosso desafio”, acentuou.


O gerente de Operações da Central comentou sobre o ano difícil, mas sinalizou boas expetativas para 2019. “Com as mudanças no nosso processo de produção, com habilitação para mercados que já começam a dar bons resultados, vamos virar esse jogo. O Brasil tem potencial e não depende só do presidente da República. Depende de cada um de nós”, finalizou.


Cappellaro deixou uma mensagem aos integrados e parceiros criadores da Cocari. “Continuem trabalhando com dedicação e comprometimento. Sempre teremos obstáculos a superar, mas com união, diálogo e perseverança conseguiremos alcançar os resultados esperados. Feliz Natal e um grande 2019”, desejou.


Gilmar Luís Gruber, gerente do Frigorífico da Aurora em Mandaguari, destacou a importância da comunicação que vem do campo para o bom andamento de todo o ciclo produtivo, envolvendo itens como peso correto e mortalidade das aves, para que não gere ociosidade nem sobrecarga na planta industrial. 


Conforme salienta Gruber, integrados e parceiros criadores precisam aprimorar o desenvolvimento do trabalho constantemente. “Todas as atividades requerem treinamento contínuo para a melhoria do trabalho. O aprimoramento se faz necessário por meio das práticas repassadas pela equipe técnica e o acompanhamento em todas as etapas do desenvolvimento das aves”, afirmou.


O gerente do Frigorífico de Mandaguari reforçou a necessidade da melhoria contínua. “Os integrados já têm melhorado muito desde o início da parceria com a Aurora, mas sempre é possível evoluir em todos os processos da cadeia produtiva. Se cada um fizer a sua parte, a consequência será o resultado positivo”, disse. “Continuem realizando as atividades da melhor forma possível. O campo é apenas uma parte da engrenagem dessa cadeia, mas é uma etapa muito importante porque se não recebermos aves com qualidade e informações corretas, teremos dificuldades para dar sequência aos demais processos”, complementou.


Andreo Eckel, supervisor de avicultura do Frigorífico de Mandaguari, falou sobre a parceria entre assistência técnica e produtor. “A assistência técnica busca sempre sistematizar a melhoria de resultado, fazendo com que todos os produtores se aproximem dos melhores na integração. Percebemos que os primeiros colocados são aqueles que mais participam dos treinamentos, estão atentos às instruções e buscam aplicá-las nos aviários”, contou. 


De acordo com ele, a troca de experiências é bastante positiva. “É fundamental que os produtores estejam abertos às novas informações que são trazidas pelos técnicos de cada região e que participem das reuniões semestrais, quando são repassados detalhes de manejo e a visão geral da avicultura”, frisou. “Além disso, podem adquirir conhecimentos nos dias de campo da Cocari, iniciativa muito elogiada pelos produtores e demais participantes, assim como participando do curso sobre ambiência, que teve início em 2018 e se estenderá em 2019, realizado em Assis Chateaubriand. São momentos para a troca de informações entre avicultores. Também promovemos intercâmbios, levando produtores interessados nas propriedades dos avicultores mais premiados, para verificarem in loco as instalações e a forma de trabalho”, detalhou. 


Para o supervisor de avicultura, o principal fator que o avicultor precisa levar em conta na condução dos lotes é com relação aos detalhes, já que o pintainho e a ração têm a mesma procedência para todos os integrados. “As boas práticas de produção devem fazer parte da rotina do produtor. A avicultura é um processo dinâmico, não permite erros ou atrasos, ou seja, o produtor não pode adiar as tarefas porque sempre que deixar de lado um manejo, a prática de biossegurança ou outra técnica, estará perdendo em desempenho no lote, e isto é difícil mensurar, assim o produtor não tem a percepção clara de quanto perde ou deixa de ganhar”, pontuou Andreo Eckel. 


“Quem busca produzir com excelência tem de ficar atento aos detalhes. Precisa estar dentro do aviário, em observação, para atender a todas as necessidades que as aves expressam durante o ciclo de produção”, concluiu.




 


Sobre a premiação


A avaliação foi referente ao período de 1º de dezembro de 2017 a 30 de novembro de 2018. Foram premiados aqueles que alcançaram os maiores Índices de Eficiência Produtiva (IEPs), de lotes mistos, de cada mês. Dessa forma, 12 parceiros criadores receberam certificados, e os integrados dos três melhores IEPs receberam também troféu e prêmio em dinheiro, assim como as três melhores médias de Conversão Alimentar Ajustada (CAA), que representam menor custo de produção com excelentes resultados no ganho de peso das aves. Teve ainda a premiação do melhor lote misto da história da integração da Aurora.



A premiação do evento foi conduzida pelo vice-presidente da Cocari, Dr. Marcos Trintinalha, que ressaltou a satisfação em reunir os avicultores para destacar os melhores do ano. “Este encontro é momento de comemorarmos as conquistas do ano. Para termos ideia, no mês de novembro, 60% dos frangos produzidos na unidade de Mandaguari tiveram como destino o exterior. Isso é uma satisfação e mostra a importância da atividade”, comemorou. “Nesta edição, a palestra com o Celso Cappellaro foi importante para despertar o sentimento de pertencimento, porque fazemos parte da Cocari, que faz parte da Aurora”, enfatizou.


Dr. Trintinalha relembrou as edições anteriores do Encontro de Avicultores, quando detalhes dos cuidados de alguns produtores com as aves foram repassados aos demais, resultando em ganhos para toda a integração, como o controle da água, controle da entrada de ar, o caminhar por sobre a cama, movendo a palha para não dar calos nos pés dos frangos. “Já aprendemos muito e temos ainda a aprender nas questões de ambiência, mas esses novos treinamentos que vêm sendo promovidos, envolvendo todos os integrados ou parceiros criadores, são importantes para que possamos ter uma integração cada vez melhor e mais tecnificada”, apontou.


Ao encerrar a premiação, Dr. Marcos Trintinalha agradeceu a cada elo que compõe a cadeia produtiva de aves da Integração Aurora/Cocari e também desejou boas festas. “Feliz Natal. Que o próximo seja de muitas realizações para todos nós, de muita saúde e paz porque esperança nós temos”, finalizou.


O presidente Vilmar Sebold também aproveitou o evento para felicitar os produtores. “Feliz Natal para todos nós. Que tenhamos um bom ano pela frente e que nossas expectativas para o país não se frustrem, que tenhamos paz e possamos realizar os nossos sonhos”, desejou.




 
COOPERATIVISMO IMPRENSA
 
RECURSOS HUMANOS CONTATO
 
 
COCARI
COCARI - Cooperativa Agropecuária e Industrial
Rua Lord Lovat, 420 - Jardim Esplanada
CEP: 86975-000 - Mandaguari - PR
Fone: (44)3233-8800
Entre em contato conosco
Copyright © 2015 COCARI - Todos os direitos reservados