WebMail  

Cocari e Aurora promovem o 1º Dia de Campo de Avicultura

19/07/2018 - 10:33:26  Cocari
Redação da C7 Comunicação


Conhecimento é o segredo para vencer os desafios da atividade avícola


 



Em busca de maior aprendizado para a condução dos aviários, os produtores da Integração Aurora/Cocari participaram do 1º Dia de Campo de Avicultura, realizado em Mandaguari, no dia 5 de julho. O evento contou com palestras, troca de experiências e visitação aos estandes de empresas parceiras. 


Na abertura do dia de campo, o presidente da Cocari, Vilmar Sebold, falou sobre o mercado avícola e a importância de cuidados que garantem a eficiência dos lotes. “Passamos por momentos difíceis recentemente no mercado, mas que deixaram aprendizados, de que precisamos melhorar. As barreiras impostas aos produtos brasileiros por países como China, Rússia, União Europeia e Arábia Saudita provocaram sérias quedas nas exportações de frango”, frisou. 


A esse cenário se somam as consequências da paralisação dos caminhoneiros, ocorrida em maio. Na região da Integração Aurora/Cocari foi grande a dificuldade, com falta de ração nos aviários, e a consequente falta de frangos para suprir o abatedouro da Aurora em Mandaguari. “Sofreram todos os setores do agronegócio e as cooperativas dos respectivos setores”, comentou Sebold.


Principalmente em meio às dificuldades, a lição que fica é a necessidade de aprimorar o desenvolvimento dos trabalhos. “Sempre temos de nos perguntar como está a nossa integração, também na comparação interna, entre os próprios produtores. Queremos ter a melhor integração. O desafio é grande, tanto no campo, quanto com relação ao clima, à diminuição de custos. E o objetivo desse dia de campo é trazer muito aprendizado, mostrar o que vem dando certo para outros avicultores integrados”, destacou Sebold.


A iniciativa de realização do evento é inovadora, inédita na região da atuação da Cocari e surpreendeu pela grande participação dos avicultores, sendo uma ótima oportunidade para intensificar o aprendizado.


 


Palestras Técnicas


Dividido em dois momentos, o Dia de Campo de Avicultura teve o período da manhã destinado à realização de palestras técnicas, que ocorreram na Associação Atlética Cocari. Na ocasião, Bruno Barbosa Marangoni, da empresa Detevel, falou sobre Controle de pragas, tratando especificamente de roedores e cascudinhos, destacando espécies mais comuns em aviários, características, hábitos, reprodução, potencial de contaminação e erros comuns no controle dessas pragas, fatores que impactam em questões de segurança alimentar e sanidade do plantel.


Outro impacto importante é o econômico. “Os roedores provocam danos em placas evaporativas, cortinas, fios, tubulações, há risco inclusive de incêndio para os aviários, pois ao roerem os fios, pode ocorrer curto-circuito”, observou o palestrante. Tem ainda o impacto no consumo de ração. Quando se tem infestação alta, que representa em torno de 3 mil roedores, podem consumir até 5% da ração, além da contaminação do alimento por urina e fezes. É custo para os avicultores e para as integradoras.


Para falar sobre Sanidade do ambiente e das aves, as cooperativas trouxeram o Dr. Harley Machado de Souza, da empresa MSD Saúde Animal. Ele esclareceu sobre os perigos de surto da Influenza (gripe aviária) para a biosseguridade do ambiente das aves e sanidade dos frangos de corte, com destaque para a salmonela, uma das principais causas dos transtornos na exportação da carne de frango brasileira. 


O especialista chamou a atenção para os cuidados fundamentais para evitar doenças: colocar tela fina no aviário; uso de água sempre clorada; desinfecção de veículo; cerca; e evitar a entrada de pessoas estranhas no aviário. “As recomendações não são mera burocracia. Isso tudo evita doenças desde as respiratórias, que são mais simples, até as que trazem sérias sanções econômicas”, enfatizou.


E para tratar de Operação, lubrificação e manutenção de fornos, o palestrante foi Vladimir Prodozzimo, da empresa Agrobona. Na oportunidade, ele transmitiu informações aos avicultores sobre o manejo dos aquecedores, passando dicas de como proceder para aumentar a vida útil dos equipamentos, destacando que a durabilidade está diretamente ligada à limpeza.


 


Compartilhando conhecimento


A análise comparativa dos resultados da integração, desde a negociação da Cocari com a Aurora, em 2015, tem reforçado ano a ano o salto na melhoria de qualidade das aves no campo e, consequentemente, no abatedouro. “Estamos aprendendo cada vez mais com o tempo. São questões de tecnologia, de qualidade de pintainho, de nova genética, enfim, uma somatória de conhecimentos técnicos que são fundamentais e que impactam no bolso dos produtores”, observou o presidente da Cocari. 


“Nossa responsabilidade é a máxima eficiência o tempo inteiro. É preciso respeitar e cumprir as regras ambientais, atuar com zelo e atenção e respeitar também as regras da integradora”, ressaltou Sebold. “Quanto mais o produtor ganha, menor é o custo do frango para a Aurora e melhor será o desempenho”, completou.


No 1º Dia de Campo de Avicultura foram convidados integrados que têm registrado alto desempenho para uma plenária, quando apontaram os resultados que vêm alcançando desde 2015, com diferenciais que os colocam entre os melhores produtores da Integração Aurora/Cocari. José Afonso Couto, Milton Jorge Dariva e Júlio Maria de Freitas têm histórico de IEP (Índice de Eficiência Produtiva) médio acima de 400.


Os avicultores começaram falando dos principais cuidados antes do alojamento das aves, nos intervalos, citando procedimentos como preparar a lenha dias antes de sair o lote, o preparo do galpão para receber os pintainhos e da cama de frango. Na chegada do lote deve ser observada a temperatura na descarga das aves e ter atenção constante nos primeiros dias de vida dos pintainhos. “O segredo está nos detalhes, em procurar errar o menos possível. E seguir o que o pessoal da área técnica orienta”, resumiu José Afonso Couto.


Milton Jorge Dariva disse que trata de tirar logo o excesso de amônia do aviário. “Eu chego a bater a cama por cerca de 12 vezes. Cama seca é o sucesso do próximo lote e a amônia é complicada de retirar, principalmente na época do frio”, observou. Depois disso, ele se dedica à limpeza do aviário, ao controle de cascudinho. O forno deve ser ligado pelo menos 12 horas antes do alojamento para garantir o bom aquecimento da cama, para que os pintainhos não se amontoem.


Outro cuidado é com a regulagem dos bebedouros. “Quando o pintainho chega, se tiver água fresca e a comida no papel, 70% do lote está garantido. Na primeira semana, incentivar o consumo de água e comida é essencial”, diz Dariva.


Júlio Maria de Freitas acrescentou que o cuidado deve ser contínuo, desde os primeiros dias e se estende por todo o período de alojamento do lote. “Para permanecer na atividade é preciso seguir os procedimentos corretamente. E se tiver dúvidas, pedir orientação técnica para sanar os questionamentos. Se o avicultor quer produzir bem, os erros precisam ser deixados de lado, é necessário trabalhar para que ocorra o mínimo possível de falhas”, assegurou.



Os produtores esclareceram sobre manutenção preventiva de exaustores, persianas, regulagem de linha de comedouros, bomba de nebulização, placas evaporativas, atenção aos rolamentos e motores dos equipamentos, e orientaram que, se possível, é bom ter um motor de estepe, principalmente da placa evaporativa, para não ficar em apuros numa emergência. 


Falaram ainda sobre limpeza de fornos e da necessidade de testar os geradores. E deram uma dica importante: equipamento de aviário não aceita gambiarras.


Esteve em pauta também a manutenção de equipamentos durante o alojamento e no período de vazio dos aviários para bom desempenho durante a condução do lote. 


E frisaram os cuidados nos últimos dias, o jejum pré-abate, a retirada da ração para o carregamento das aves, e a importância do fornecimento de água até os últimos momentos das aves no aviário.


Os três demonstraram a necessária atenção às questões de bem-estar animal, destacando inclusive a importância de averiguar a quantidade de frangos por caixa no carregamento, para evitar morte na viagem até o abatedouro. 


O moderador do debate foi o gerente de Avicultura da Aurora, Luis Carlos Farias. “Não existem grandes segredos. Temos de transformar o que sabemos em ações, e fazer acontecer, tendo iniciativas preventivas, não deixando para a última hora. O segredo é organização, conhecimento e ação”, destacou. 


Farias aconselhou aos produtores que participaram da plenária que continuem sendo exemplo para os demais. “Nós, da Aurora e da Cocari, agradecemos pelo que vocês vêm realizando. Isso faz o nosso sistema ficar mais forte”, finalizou.


Vilmar Sebold reforçou o caráter inovador do evento. “É uma iniciativa inovadora, na nossa região não existia um dia de campo com foco nos avicultores. Temos de agradecer a participação da equipe, dos técnicos da Aurora, mas os grandes ganhadores são os nossos produtores”, apontou. “O mercado não tem mais espaço para resultados mais ou menos. Precisamos de alta tecnologia, mas também de alto desempenho, e a plenária, com os produtores narrando suas experiências, foi muito enriquecedora”, assegurou. 


A primeira edição do Dia de Campo de Avicultura contou com a participação de 18 empresas expositoras, que demonstraram as tecnologias, bem como os produtos indicados para o controle de pragas e doenças nos aviários. “Começamos com um desafio para o ano que vem: fazer um evento ainda melhor”, concluiu o presidente da Cocari.


 


Melhor lote misto da história


Durante o evento foi entregue uma homenagem à integrada Mariana Gomes Brescansin, que se destacou produzindo o melhor lote misto da história da Central Aurora, com IEP de 484. Mariana contou que o resultado não veio de uma hora para outra. Foram anos de preparação para chegar a esse nível e foi uma conquista em equipe. “Eu não conquistei nada sozinha. É mérito da equipe que cuida de todos os detalhes: os granjeiros, Luiz Carlos Bernardo Leite e Francislaine Aparecida dos Santos, meu pai, José Valdir Brescansin, e meu irmão Pedro Gomes Brescansin, que estão no aviário todos os dias e o Ezequias Balonecker, encarregado da fazenda”, reconheceu. 


“Agradeço também ao técnico da Aurora que presta assistência, o médico veterinário Jaime [Garcia Scardoelli Filho], por todo apoio e os ensinamentos transmitidos durante a condução dos lotes”, comentou. 


A integrada aponta que o segredo está na preparação e atenção aos detalhes. “O frango dá sinais quando está com frio, com fome, calor, sede, e cabe ao granjeiro interpretar isso”, analisou. Mariana recebeu um certificado e prêmio em dinheiro pela marca histórica.



 


Últimas Notícias

 
COOPERATIVISMO IMPRENSA
 
RECURSOS HUMANOS CONTATO
 
 
COCARI
COCARI - Cooperativa Agropecuária e Industrial
Rua Lord Lovat, 420 - Jardim Esplanada
CEP: 86975-000 - Mandaguari - PR
Fone: (44)3233-8800
Entre em contato conosco
Copyright © 2015 COCARI - Todos os direitos reservados